sábado, 27 de novembro de 2010

Bar é ambiente de socialização entre professores e estudantes da UFRB

O PQTRLV, em Cachoeira, tornou-se um local alternativo de descontração e lazer para professores e estudantes do CAHL durante a semana

A calçada serve de espaço para instalação das mesas do bar. Crédito: Marília Marques
Localizado na Praça Dr. Aristides Milton, o bar PQTRLV tem 23 anos de tradição e oferece um serviço alternativo, diferente da maioria dos bares da cidade e é frequentado por estudantes, professores, turistas e pessoas da comunidade. Seu dono, José Raimundo Alves, mais conhecido como Zé Miúdo, sempre trabalhou com esse tipo de comércio e diz que não se vê fazendo outra coisa.

A sigla da placa que fica na parte superior do estabelecimento e sempre desperta muita curiosidade significa Pedro Quer Ter Renda, Lucro e Vantagem, nome criado pelo antigo dono – que chamava-se Pedro – e mantido por Zé Miúdo. Mas existe ainda um outro significado, pejorativo e impronunciável, criado pelos moradores.

No local, além do PQTRLV existiam mais outros dois bares, mas somente esse permaneceu. Zé acredita que, pela competência de seus serviços, o bar virou tradição na cidade, principalmente pelos tira-gostos que são oferecidos, como filé de carne, camarão a alho e óleo e peixe.

O filé é o mais pedido da casa e agrada a todos os paladares. O segredo, ele não contou, mas ninguém mexe na cozinha do bar. Sua filha, Adriana Silva - que desde criança acompanha a jornada de seu pai no bar, convivendo e servindo os clientes - diz que o que ele faz é muito particular. "A cozinha é dele, o tira-gosto é dele", sentenciou.
Zé Miúdo prepara o filé de carne, um dos tira-gostos
mais pedidos. Crédito: Laiana Matos
Durante os finais de semana, a praça fica bastante agitada e o bar cheio. Zé Miúdo acredita tanto na importância do seu estabelecimento que ainda complementa: “Se eu fechar o bar, acaba essa praça”, diz ele.

O bar passou a ser muito frequentado na época da construção da Pedra do Cavalo, quando vieram muitos trabalhadores de fora. Com isso, teve que ampliar os serviços, como a produção dos tira-gostos, atraindo um público maior.  Contudo, Zé acredita que a chegada da UFRB distanciou alguns clientes da cidade, mas trouxe outros. “Antes da universidade o público era diverso. Com a chegada da UFRB, o pessoal da cidade se distanciou um pouco mais e quem passou a frequentar foram os estudantes e professores”, disse.

O professor de Cinema Guilherme Maia, sempre que passa as noites em Cachoeira, vai ao bar apreciar o filé de carne – que é seu tira-gosto favorito – e tomar uma cerveja. Guilherme afirmou adorar o ambiente e diz: “O bar é referência na cidade. Vejo como um ambiente de socialização”.

3 comentários:

valdelice santos disse...

É impressão minha ou aqele folgado na cadeira é Pequinho? Mas menino! Quanta folga e eu ralando aqi para o Reverso, rsrs

Brasileiro nativo disse...

O bar PQTRLV pode ter 23 anos com o proprietário atual.Sua existênciadeve ter uns 50 ou + anos.Seu proprietário era Pedro, pai de Orlando.Ali era ponto certo da turma biriteira dos Correios e Telégrafos que, na época, tinha uma guarnição de + de 40 funcionários.

Lorena Morais disse...

Agradeço a ressalva.
Realmente desconheço a história do bar antes de seu atual dono e reconheço a relevância de sua colocação.
Abraços.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails